Kalil tem encontro com Doria e compra da Coronavac pode estar na pauta

alexandre kalil e joão doria
Encontro terá uma hora de duração (Amanda Dias/BHAZ + Valter Campanato/Agência Brasil)

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), se reúne com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), na tarde desta terça-feira (15). O encontro acontecerá no Palácio dos Bandeirantes, na Ala Presidencial, conforme consta na agenda do político paulista. Entre os temas da conversa, há a possibilidade da compra da vacina Coronavac estar na pauta.

O encontro de Kalil com Doria está previsto para começar às 12h30 e terá uma hora de duração. Além do prefeito e do governador, vão participar o Secretário e Chefe do Escritório do Governo de São Paulo em Brasília, Antonio Imbassahy; e o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. O compromisso está publicado no site do estado de São Paulo.

encontro doria e kalil
Encontro consta na agenda de Doria (Reprodução/Governo de São Paulo)

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) não confirmou a pauta do encontro, por sua vez, o Governo de São Paulo disse que os assuntos tratados serão conhecidos apenas no final, pois a agenda não é aberta. Há expectativa de que os mandatários conversem sobre a compra da Coronavac pela prefeitura. Na última semana, um acordo da PBH foi firmado com o Instituto Butantan para vacinar a população com o imunizante produzido pela empresa chinesa Sinovac.

‘Temos dinheiro’

O prefeito Kalil já afirmou que a prefeitura está preparada para comprar a vacina “que vier”, pois há dinheiro em caixa. “A prefeitura se armou para comprar vacinas, se for necessário. Temos dois milhões de seringas estocadas, e, seja a vacina qual for, nós temos dinheiro. A que vier nós compramos. Não há risco da população ficar sem vacina”, garantiu o prefeito em entrevista no dia 25 de novembro.

Além do acordo com o Butantan, o Executivo municipal também tem tratativas para vacinar a população com o imunizante da Pfizer, já que tem a disposição três “super-freezers” para realizar o armazenamento. Isto foi possível graças a um acordo com a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

A expectativa da PBH é poder contar com o Plano Nacional de Imunização, coordenado pelo Ministério da Saúde. Apesar disso, caso as vacinas do Butantan ou da Pfizer estejam disponíveis primeiro, a PBH conta com parcerias para iniciar a imunização dos grupos de risco o quanto antes.