Covid-19: Kalil garante início de vacinação logo após começo em SP

kalil vacina
Prefeito garantiu início da vacinação pelos profissionais da saúde (Amanda Dias/BHAZ + Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Um dia após confirmar a compra de doses da vacina Coronavac, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), afirmou que a vacinação na capital mineira vai começar logo depois que o mesmo ocorrer em São Paulo. O chefe do Executivo municipal esteve com o governador João Doria (PSDB) e um acordo foi firmado. Os profissionais da saúde serão os primeiros imunizados em BH.

“Se São Paulo começar a vacinar, seja por ordem da Justiça, seja por ordem da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), na segunda, nós começamos na terça. São 400 mil doses só para o pessoal da saúde. Mandei separar para comprar vacina e proteger o pessoal da saúde na primeira etapa”, disse o mandatário em entrevista à Itatiaia.

“Vai ser [vacinação] dentro dos hospitais, seja público ou privado”, detalhou. Apesar do acordo firmado para adquirir a vacina produzida pela Sinovac e pelo Instituto Butantan, Kalil afirmou que “o plano A é o governo federal comprar e distribuir”.

Pfizer

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) também tem um acordo firmado com a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) para armazenar a vacina da Pfizer. O imunizante necessita ficar em temperatura inferior a -70ºC. “Se for a [vacina] da Pfizer, Belo Horizonte já tem 15 super freezers separados. Podemos armazenar hoje um milhão de doses de vacina da Pfizer”, destacou.

Pandemia em BH

De acordo com o Boletim Epidemiológico e Assistencial dessa terça (15), Belo Horizonte tem 58 mil casos confirmados de Covid-19 e 1.753 mortes. O número de pacientes recuperados alcançou a marca de 54.006 e aqueles em acompanhamento, 2.241. Os três indicadores de monitoramento da pandemia segue em alerta, na cor amarela. O número médio de transmissão por infectado (RT) está em 1,05.

Os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para tratar o novo coronavírus estão com 59,1% de ocupação e os de enfermaria, 52,3%. A regional Noroeste concentra o maior número de mortes com 227 vítimas, na sequência aparecem Nordeste e Oeste, com 208.

indicadores pandemia
Indicadores de monitoramento da pandemia na capital mineira (Reprodução/PBH)

Com informações do site BHZ