Youtuber constrói videogame portátil dentro de um controle de SNES

Raspberry Pi e jogos retrô são duas coisas que combinam como queijo e goiabada. Barato e versátil, o pequeno computador é ideal para projetos dos fãs dos games e consoles do passado, seja um gabinete de arcade em tamanho real, um console de mesa ou um videogame portátil.

E “portabilidade” é o tema do projeto do youtuber Restore Technique, que em dois vídeos em seu canal mostra como construiu um videogame portátil dentro de um controle original do SNES, com direito a alto-falante interno, tela e bateria recarregável.

publicidade

Os ingredientes foram um Raspberry Pi Zero, a menor e mais barata versão da placa, e um “hat” produzido pela empresa chinesa Waveshare, que é instalado em cima do Raspberry Pi (por isso o nome “hat”, chapéu). Ele tem uma tela LCD de 1,5”, saída de áudio, circuito de recarga de bateria e controles integrados, tudo o que você precisa para um videogame portátil.

O Raspberry Pi Zero é o menor e mais barato modelo na família, e pode ser encontrado no Brasil por cerca de R$ 180

Mas o projeto não se limitou a encaixar o hat sobre o Raspberry Pi: ambos tiveram de ser pesadamente modificados, com a remoção de portas e conectores. No caminho para se tornar um videogame portátil o Pi Zero perdeu a porta HDMI e as duas portas USB soldadas à placa-mãe, enquanto o hat perdeu o controle de volume e o suporte para uma bateria recarregável no formato 18650 (que parece uma pilha AA), substituída por uma bateria de lítio de 600 mAh.

O controle recebeu um recorte central para a tela, cujo cabo teve de ser estendido, e por dentro vários suportes tiveram de ser removidos. A placa dele também foi modificada, com uma seção removida para que todos os outros componentes pudessem caber lá dentro e os botões ligados diretamente aos pinos do conector de GPIO do Raspberry Pi, usado para comunicação com periféricos externos.

Waveshare Game Hat: quase tudo o que você precisa para criar um videogame portátil
Waveshare Game Hat: quase tudo o que você precisa para criar um videogame portátil

Além do know-how técnico para saber como modificar as placas sem que nada deixasse de funcionar, a construção do videogame portátil também exigiu uma boa dose de paciência e habilidade manual para que os cortes no controle fossem precisos e o resultado ficasse apresentável.

publicidade

O resultado pode ser visto nos dois vídeos abaixo. Apesar da tela de 1,5” não ser a melhor opção para longas partidas, a execução é admirável. Só não conseguimos descobrir quanto tempo a bateria de 600 mAh dura.

Fonte: TechTimes