Caminhão cai de ponte em João Monlevade, na BR-381, no mesmo lugar de acidente com ônibus que matou 19 no mês passado

De acordo com o Corpo de Bombeiros, veículo caiu no rio.

Caminhão cai na mesma ponte onde ônibus caiu, em João Monlevade, deixando 19 mortos. À esquerda, foto do acidente de agora, com duas vítimas. À direita, foto do acidente com ônibus. — Foto: Redes sociais
Caminhão cai na mesma ponte onde ônibus caiu, em João Monlevade, deixando 19 mortos. À esquerda, foto do acidente de agora, com duas vítimas. À direita, foto do acidente com ônibus. — Foto: Redes sociais

Um caminhão caiu da “Ponte Torta”, na BR-381, em João Monlevade, Região Central de Minas Gerais, na tarde desta quarta-feira (13). O acidente foi no mesmo local onde um ônibus caiu no dia 4 de dezembro e matou 19 pessoas.

  • Um ferido do acidente com ônibus continua internado
  • Um mês após acidente, Polícia Civil não havia concluído inquérito

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista perdeu o controle do caminhão e caiu no Rio Piracicaba. O veículo está totalmente submerso e, segundo testemunhas, há duas pessoas dentro dele: o motorista e um passageiro.

Às 15h40, mergulhadores de Itabira já estavam a caminho para atendimento da ocorrência. Uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estava no local.

Local em João Monlevade com dois graves acidentes em pouco mais de um mês. — Foto: G1
Local em João Monlevade com dois graves acidentes em pouco mais de um mês. — Foto: G1

Acidente de ônibus

No dia 4 de dezembro de 2020, um ônibus caiu da ponte, deixando 19 mortos e mais de 25 pessoas feridas. Um mês após o acidente, a Polícia Civil ainda não havia concluído o inquérito.

Um homem de 26 anos teve alta do hospital na última semana, 34 dias após a tragédia. Uma outra vítima continuava internada.

O ônibus da Localima Turismo partiu da zona rural de Mata Grande, em Alagoas, e seguia para São Paulo (SP). Na altura do km 350 da BR-381, no trecho conhecido como “Ponte Torta”, o veículo caiu do viaduto de uma altura de cerca de 35 metros.

O ônibus já havia sido autuado por transporte irregular de passageiros e, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), não possuía autorização. O motorista sobreviveu ao pular do coletivo e se apresentou à polícia três dias depois do acidente.

A Localima Turismo emitiu uma nota, na época do acidente, na qual expressou pesar e tristeza pelas vítimas e afirmou estar à disposição para suporte “humano, digno, com compaixão e empatia”.

Fonte: G1 Globo