Virgin Orbit coloca foguete em órbita pela primeira vez

 

A Virgin Orbit (não confunda com a Virgin Galactic, empresa do mesmo grupo que visa o turismo espacial com voos suborbitais) completou na tarde deste domingo (18) o primeiro lançamento orbital do foguete LauncherOne, que colocou em órbita nove satélites de pequeno porte (CubeSats) para a Nasa.

Este foi o segundo lançamento de um LauncherOne. O primeiro, em maio de 2020, não teve sucesso devido à ruptura de uma linha de combustível que leva oxigênio líquido ao propulsor. Como consequência, o foguete não conseguiu atingir a órbita terrestre e caiu no mar.

“O fato que o LauncherOne conseguiu entrar em órbita com sucesso hoje é um testemunho do talento, previsão, garra e engenhosidade desta equipe. Mesmo diante de uma pandemia global, mantivemos nosso foco na demonstração de cada elemento deste revolucionário sistema de lançamento. Este esforço foi recompensado hoje com uma missão lindamente executada, e não poderíamos estar mais felizes”, disse Dan Hart, CEO da empresa.

Diferente dos foguetes tradicionais, como os Falcon 9 da SpaceX, o LauncherOne não decola verticalmente de uma plataforma de lançamento. Em vez disso, ele é levado a cerca de 10 km de altura sob as asas de um Boeing 747 modificado, chamado “Cosmic Girl” (Garota Cósmica). Ao atingir esta altitude o foguete é solto, e após alguns segundos em queda livre aciona o propulsor NewtonThree que irá levá-lo até a órbita.

O sistema da Virgin Orbit tem duas vantagens sobre os lançamentos tradicionais: a primeira é que menos combustível é necessário para atingir a órbita, o que reduz o custo e aumenta a capacidade de carga útil do foguete. Além disso, o lançamento pode ser efetuado a partir de qualquer aeroporto capaz de suportar um Boeing 747, o que o torna a primeira plataforma de lançamento verdadeiramente global.

Em contraste, o tamanho e capacidade máxima do foguete são limitados à capacidade de carga do Boeing 747. O LauncherOne pode colocar cargas de até 300 kg em órbita baixa (LEO, Low Earth Orbit), enquanto um Falcon 9 da SpaceX pode levar 13 toneladas a uma órbita baixa ou 5 toneladas a uma órbita geossíncrona (GEO).

O foguete LauncherOne recebeu uma dedicatória em homenagem a Eve Branson, mãe do fundador do grupo Virgin, Richard Branson, que faleceu de complicações relacionadas à Covid-19 em 8 de janeiro, aos 96 anos.

 

Com informações do Olhar Digital