Mulher encontra vídeo íntimo da filha no celular do marido e atira nele

Delegacia Manhuaçu
Ocorrência foi encerrada na Delegacia de Polícia Civil de Manhuaçu (Reprodução/Google Street View)

Uma mulher de 35 anos foi presa após atirar contra o marido, de 43, na zona rural de Manhumirim, na região da Zona da Mata, em Minas Gerais, nessa quinta-feira (21). O casal teve uma discussão depois da companheira descobrir que o marido filmou a filha deles, de 18, enquanto ela tomava banho. O homem ameaçou matar a esposa, mas ela acabou pegando a arma de fogo dele e efetuou um disparo.

De acordo com a PM, a mulher contou que o marido não foi trabalhar ontem e chegou em casa com sinas de embriaguez. Após perguntar o motivo da ausência no serviço, ela foi xingada pelo homem. Depois da primeira discussão, o homem foi para o quarto casal. A mulher percebeu que ele recebeu várias mensagens no WhatsApp e resolveu mexer no aparelho.

Ao observar a galeria do celular, a mulher encontrou vídeos íntimos da filha do casal. As gravações foram feitas enquanto a jovem tomava banho, e, consequentemente, estava nua. A mãe da garota questionou o marido e uma nova discussão começou.

Agressões e ameaças

O homem, conforme registro da ocorrência, ficou enfurecido com os questionamentos e começou a agredir a companheira, tanto verbal, quanto fisicamente. Em determinado momento, ele a segurou pelos braços e a pressionou contra a parede dizendo que iria matá-la com a arma que tinha em casa.

Apesar das agressões e ameaças, a mulher conseguiu escapar e pegou a arma do companheiro, guardada na mochila usada por ele para ir ao trabalho. Ela atirou uma vez contra o homem e o disparo atingiu a região da barriga.

Socorro e prisão

A própria companheira levou o homem até o hospital com a ajuda de uma vizinha. O marido precisou ficar internado após passar por cirurgia de emergência. Abordada pelos militares, a mulher disse que é vítima de violência doméstica praticada pelo marido com frequência e assumiu o crime.

Ao ser questionada pelos policiais o motivo de não ter registrado nenhuma ocorrência sobre essas agressões, a mulher afirmou que sempre teve medo de represálias. A arma foi encontrada na casa de um irmão da mulher, que foi detida por tentativa de homicídio. Antes, ela foi medicada em um hospital, já que sofreu ferimentos provocados pelo marido.

Denuncie violência contra mulher

Especialistas são unânimes ao falar sobre a importância da mulher denunciar. Na capital mineira, além da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher, existem ao menos outras três instituições que atendem esse público: Nudem (Núcleo de Defesa da Mulher), da Defensoria Pública; Casa Benvinda, da Prefeitura de Belo Horizonte; e Casa de Referência Tina Martins, do chamado terceiro setor, sem vínculo governamental. Além disso, existe também o aplicativo MG Mulher, do governo de Minas (veja aqui).

  • Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher: av. Barbacena, 288, Barro Preto | Telefones: 181 ou 197 ou 190
  • Casa de Referência Tina Martins: r. Paraíba, 641, Santa Efigênia | 3658-9221
  • Nudem (Núcleo de Defesa da Mulher): r. Araguari, 210, 5º Andar, Barro Preto | 2010-3171
  • Casa Benvinda – Centro de Apoio à Mulher: r. Hermilo Alves, 34, Santa Tereza | 3277-4380

Com informações do site BHZ