Qual será o rumo da tecnologia em 2021?

A pandemia foi o centro das atenções em 2020 em todo o mundo, mas também evidenciou a importância da tecnologia em nossas vidas. Em 2021 não será diferente

Não há dúvidas de que neste ano as empresas estarão ainda mais preocupadas em reconhecer o valor da inovação tecnológica e investir em recursos que possibilitem a automação e aperfeiçoem todos os processos. Tudo isso já vinha acontecendo, no entanto se tornou imprescindível em um ano que superou todas as previsões e acelerou a transformação digital. Hoje, é impossível dizer que alguém não precisou de alguma ferramenta tecnológica para resolver qualquer problema ou até mesmo se comunicar com alguém.

Segundo os entrevistados da pesquisa global do IEEE – Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos, realizada com 350 executivos do Brasil, China, Estados Unidos, Índia e Reino Unido, 20% acreditam que a videoconferência foi a tecnologia mais importante em 2020. Esta é uma tendência que se tornou forte no último ano e não cairá em desuso.

O coronavírus também acelerou a adoção da computação em nuvem (55%) e do 5G (52%), as tecnologias IA e machine learning (51%), além da utilização de IoT (42%) e realidade aumentada e virtual (35%).

O que veremos daqui para frente?

Além disso, quase um terço (32%) dos Chief Information Officers (CIOs) e Chief Technology Officers (CTOs) apontaram a IA e o machine learning como as principais tendências de 2021, seguidas pelo 5G (20%) e IoT (14%).

É claro que esses assuntos não são novos. A inteligência artificial e o machine learning, por exemplo, se tornaram parte do nosso dia a dia de várias maneiras, inclusive nas figuras de assistentes virtuais, como Google Assistente, Siri e Alexa. Mas serão cada vez mais usadas pelas empresas para modernizar as ações de negócios e aperfeiçoar experiências dos clientes. Essas são duas ferramentas indispensáveis no mercado.

Nesse contexto, a pesquisa da IEEE aponta que 86% das pessoas trabalhariam lado a lado com um robô, sendo 38% a favor deles para a exploração científica e 16% para o uso em cuidados hospitalares.

E por falar na área da saúde, é unânime que o uso da tecnologia deve existir para salvar vidas. Na pandemia, a Internet das Coisas, onde o mundo físico e o digital se tornam um só por meio de dispositivos que se comunicam com os outros objetos, teve papel fundamental, já que foi usada para ajudar com os cuidados de idosos e pessoas que sofriam de alguma doença crônica durante o distanciamento social.

A IoT ajudou a minimizar o contato desnecessário em situações onde o risco de contaminação viral é particularmente alto. Acredita-se que novos equipamentos inteligentes, sensores e dispositivos conectados vão continuar surgindo em 2021, mudando a maneira como os cuidados com a saúde são prestados.
Por isso, a tecnologia 5G é fundamental. É claro que ela veio com a promessa de deslanchar a um ano, mas a adaptação foi lenta no Brasil. É esperado que ela esteja bem mais disponível nesse ano e ajude a melhorar o desempenho e a confiabilidade dos dispositivos conectados. De acordo com o estudo, 40% das empresas afirmam que a adoção do 5G acelerou devido à pandemia e, para 26%, será uma das principais tecnologias em 2021.

E como ficarão as áreas mais impactadas?

Se para alguns, tecnologia é luxo, é preciso entender que ela vem para quebrar esse abismo de desigualdade, com a possibilidade de chegar a todos. No caso da educação, ela se mostra necessária e indiscutível. Por conta da pandemia e com o adiamento das aulas presenciais, vimos milhares de crianças e jovens fora das escolas e sem estudar. Tudo isso se deve à falta de preparo das escolas e educadores para lidarem com plataformas online e o ensino a distância.

Mas a lição foi aprendida. Nos próximos meses, poderemos ver no plano de aula um modelo híbrido, onde ambiente online e offline vão se encontrar. Nenhum substitui o outro. Pelo contrário, são essenciais. O estudo mostra que para 24% dos entrevistados, a educação será uma das áreas mais impactadas pela tecnologia.

Mas não é só ela. Para 34%, os serviços financeiros também terão grande impacto, já que usarão soluções para ajudar o país a se recuperar dos efeitos colaterais deixados pela covid-19. Muitas soluções vão surgir para auxiliar PMEs a se reerguerem dessa crise, além traçar métodos e estratégias para inserir os jovens, novamente, no mercado de trabalho.

Independentemente de serem apenas tendências, essas tecnologias se tornarão ainda mais importante no decorrer do ano para fazer com que o mundo volte ao eixo, ou pelo menos para trazer soluções para os problemas causados por essa pandemia. Não há outro caminho. A tecnologia estará em todos os lugares, com recursos ainda mais promissores para que a população possa se beneficiar. Na verdade, ela vai determinar o futuro de todos os setores de agora em diante. Está preparado para tudo isso?

Com informações do Olhar Digital