Madalena Gordiano, racismo e relações de trabalho

História da mulher mantida em condições análogas à escravidão por quase 40 anos explicita problema estrutural da sociedade brasileira

Há algumas semanas, foi tornada pública a história de Madalena Gordiano, 46, mantida em condições análogas à escravidão por uma família da cidade de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, por 38 anos.

A trabalhadora doméstica era mantida num quartinho sem janela, tinha poucos pertences, não se sentava à mesa com os demais moradores da casa, mas ao ser interrogado, um dos acusados de mantê-la nessas condições disse que ela era “como se fosse da família”.

O caso de Madalena demonstra como, mesmo passados mais de 130 anos desde a abolição, a escravidão foi mal resolvida no Brasil e como o racismo afeta as relações de trabalho de uma maneira estrutural.

Neste episódio, a questão é discutida com Álvaro Nascimento, doutor pela Unicamp, professor dos cursos de graduação e pós-graduação em História e Humanidades Digitais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e coordenador do Grupo de Estudos Pós Abolição e os Mundos do Trabalho.

Ouça onde preferir: RSS Feed, Spotify, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer, SoundCloud.

 

Com informações do OTempo