Enfermeira é afastada após ‘sumiço’ de doses da Coronavac em BH

Maternidade Odete Valadares
Funcionária disse que não comunicou sumiço porque a superior estava de “cara fechada” (Reprodução/Rede Fhemig/Facebook)

A maternidade Odete Valadares, na região Oeste de Belo Horizonte, afastou a funcionária envolvida no sumiço de seis doses da Coronavac, conforme boletim de ocorrência registrado na terça-feira (26). De acordo com a Fhemig (Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais), o desaparecimento das doses foi constatado no dia anterior, e a direção da maternidade acionou as autoridades.

Segundo o registro policial, a funcionária afastada é uma enfermeira que foi designada como responsável pela custódia das vacinas contra a Covid-19 na maternidade. Na sexta-feira (22), dois dias após o centro de saúde receber as doses, uma representante da maternidade ouviu de outras funcionárias que algumas ampolas teriam sumido.

‘Cara fechada’

A representante ligou para a enfermeira responsável por cuidar da vacina, mas ela não atendeu e só retornou a ligação no dia seguinte. A funcionária teria dito que “sabia o motivo da ligação”. A representante, então, perguntou por que ela não avisou sobre o sumiço das doses, e a enfermeira respondeu: “Não falei antes com você, pois estava com semblante muito sério, com cara fechada, fiquei com receio”.

Ainda de acordo com informações da Polícia Militar, quando a recontagem das doses seria feita, a enfermeira alegou não se sentir bem, foi ao hospital e recebeu um atestado médico. Depois da confirmação do sumiço das vacinas, a maternidade Odete Valadares afastou a funcionária ainda na terça-feira (26).

De acordo com a Polícia Civil, a investigação do crime de peculato está em andamento na 3ª Delegacia de Polícia Civil, no Centro de Belo Horizonte.

Com informações do site BHZ