Calendário astronômico de fevereiro: veja quando ficar de olho no céu

O calendário astronômico de fevereiro de 2021 não tem muitos fenômenos naturais dignos de nota. Em compensação, teremos uma abundância de eventos artificiais, como vários lançamentos de foguetes e a chegada de nada menos do que três missões diferentes a Marte.

Vale lembrar que todos os horários e direções indicados consideram um observador em Brasília, e podem ocorrer um pouco mais cedo ou mais tarde dependendo de sua posição no país.

Calendário astronômico de fevereiro de 2021

9 de fevereiro: a primeira missão dos Emirados Árabes Unidos a Marte, chamada Hope, chegará ao Planeta Vermelho.

10 de fevereiro: a missão chinesa Tianwen-1, que consiste em um módulo orbital e um módulo de pouso, também chegará à órbita de Marte. Entretanto, o módulo de descida contendo o veículo robótico (rover) que irá explorar o solo do planeta só pousará em maio.

Chegada da missão chinesa Tianwen-1 a Marte é um dos destaques do calendário astronômico de fevereiro
Modelo do rover chinês (ainda sem nome) que irá explorar Marte a partir de maio deste ano. Imagem: CNSA

15 de fevereiro: decolagem de um foguete russo Soyuz a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 1h45. A bordo estará a espaçonave de carga Progress 77, rumo à Estação Espacial Internacional (ISS).

17 de fevereiro: a nave de carga russa Progress 77 chegará à Estação Espacial Internacional. A atracação está programada para as 3h19.

18 de fevereiro: o rover Perseverance da Nasa, chegará ao Planeta Vermelho. Ele deve tocar o solo da cratera Jezero aproximadamente às 17h.

Também em 18 de fevereiro temos a conjunção entre a Lua e Marte. O par estará bem próximo no céu, sobre o norte, a partir das 18h57 e continuará visível até as 23:13, quando ambos se põem ao oeste.

20 de fevereiro: a Northrop Grumman usará um foguete Antares para lançar a espaçonave de carga Cygnus NG-15 rumo à Estação Espacial Internacional. Ele vai decolar da Wallops Flight Facility da NASA, na Virgínia, 14h36.

22 de fevereiro: chegada da espaçonave de carga Cygnus NG-15 da Northrop Grumman à Estação Espacial Internacional, às 6h30.

25 de fevereiro: Um foguete russo Soyuz irá decolar do Cosmódromo Vostochny, na Sibéria, para colocar em órbita 36 satélites para a constelação de internet OneWeb.

27 de fevereiro: a Lua cheia de fevereiro, conhecida no hemisfério norte como a Lua Cheia de Neve, ocorre às 5h17.

Como se orientar

Para acompanhar nosso calendário astronômico, é importante saber em que direção olhar e como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android minha recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Reprodução

O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente.


 

Com informações do Olhar Digital