Ladrões passam a noite com esposa e filhos de gerente para roubar banco

banco dinheiro
Um dos bandidos conseguiu entrar na agência e sacar R$ 450 mil, mas foi detido (PMMG/Divulgação + Amanda Dias/BHAZ)

O gerente de uma agência bancária de Muzambinho, no Sul de Minas, foi sequestrado junto com a esposa e os filhos, crianças de 8 e 3 anos, por bandidos que planejavam assaltar a agência nesta segunda-feira (8). A família foi levada para um esconderijo e um dos assaltantes, que foi até o banco com o gerente, chegou a sacar R$ 450 mil, mas foi detido pela polícia.

“Eles foram feitos reféns ontem à noite, a família foi retirada da casa e dois bandidos passaram a noite com eles em uma residência. No dia seguinte [hoje], o bandido foi com o gerente no banco para fazer o saque como se nada estivesse acontecendo”, explica o capitão Thiago Henrique Salgado, comandante da 79ª Companhia Militar, responsável pela segurança na região. O assaltante chegou na agência por volta das 7h, junto com a vítima, e conseguiu sacar os R$ 450 mil, mas a ação foi frustrada com a ajuda de um dos seguranças do banco.

Segundo o registro da PM, uma viatura da corporação fazia uma ronda que já é de praxe nas agências do município, quando percebeu uma movimentação estranha entre os seguranças do local. “Foi detectado que a ação estava acontecendo naquele momento e as medidas foram tomadas, fazendo o cerco. E aí, quando o indivíduo tentou sair do banco com a vítima, com o gerente, foi preso em flagrante”, detalha o capitão.

Resgate da família

O representante da corporação afirma ainda que, apesar de o gerente ter sido resgatado em segurança, a ação não foi encerrada no local, já que a família do homem ainda corria risco. “A nossa preocupação maior no momento que fizemos a prisão do indivíduo, e em conversa com o gerente, foi localizar a família. Eram três reféns e ainda estavam em poder dos autores”, explica.

Felizmente, a esposa e os filhos do gerente conseguiram escapar sem nenhum ferimento. Os três foram liberados por volta das 10h de hoje na área rural do município de São Pedro da União. “Graças a Deus, a família está ilesa. Infelizmente, vai ficar o trauma psicológico, porque passaram a noite, duas crianças… Mas graças a Deus estão ilesos”, conta o capitão. O gerente do banco se reencontrou com a esposa e os filhos no fim desta manhã, na sede da PM no local.

Crime recorrente

Este é o segundo crime do tipo em apenas quatro dias na região – e os dois foram frustrados pela PM. Segundo Salgado, a ação que permitiu a captura de um dos bandidos hoje faz parte de um protocolo pensado justamente para combater o aumento de casos desse tipo. “Essa modalidade está sendo muito comum na região. Diante disso, nós tomamos alguns protocolos de atuação. O importante desse protocolo é que ele consegue detectar o crime em andamento. A partir do momento que a equipe detectou esse código, que isso estava acontecendo naquele momento, a resposta da PM, de realizar o cerco, resultou na prisão de mais um meliante”, diz.

O outro crime que foi registrado no fim da última semana aconteceu em Nova Resende, também na região Sul. Na ocasião, os bandidos renderam a família de uma funcionária que tinha acesso ao caixa de uma agência bancária da região. Eles mantiveram os familiares em cativeiro durante a noite e, no dia seguinte, um deles foi até a agência com a mulher. A Polícia Militar também conseguiu frustrar o assalto e prender o homem no caso de Nova Resende.

Segundo o capitão da PM, apesar de se tratarem de dois crimes semelhantes e em cidades próximas, ainda não há indícios de que o caso em Nova Resende tenha relação com o de Muzambinho. Contudo, alguns dos autores já identificados são da mesma cidade – Alfenas – e há a possibilidade de os crimes envolverem pessoas de outros estados. “Num primeiro momento, houve essa prisão e identificação desses dois autores. O de Nova Resende era de São Paulo e o daqui [Muzambinho] era de Minas Gerais mesmo. Mas tudo indica que há participação de outras pessoas de outros estados”, afirma.

O homem que foi preso na manhã de hoje em Muzambinho ainda está sob tutela da Polícia Militar. Assim que as primeiras diligências forem encerradas, ele será encaminhado a uma delegacia da Polícia Civil para prosseguimento das investigações.


 

Edição: Thiago Ricci

Com informações do site BHZ