Sogro é suspeito de furtar carro e joias de nora durante enterro dela

Mulher palmeirense foi morta pelo marido, que se irritou com comemoração de título (Érica Fernandes/Arquivo pessoal)
Mulher palmeirense foi morta pelo marido, que se irritou com comemoração de título (Érica Fernandes/Arquivo pessoal)

A Polícia Civil de São Paulo (PCSP) investiga o sogro de Érica Fernandes Alves Ceschini por furto de bens. A representante comercial era torcedora do Palmeiras e foi assassinada a facadas pelo próprio marido, Leonardo Ceschini, que é corintiano, após a final da Libertadores da América, no último dia 31 de janeiro.

O sogro de Érica e pai de Leonardo é Alexandre Estevam Ceschini. Ele é acusado de roubar o carro da mulher, duas televisões, um micro-ondas, joias e eletroeletrônicos. O furto teria ocorrido durante o velório da nora, no dia 1º de fevereiro. Ao Metrópoles, a PCSP afirmou que as investigações sobre o furto são comandadas por equipes do 33º Distrito Policial. O assassino e filho de Alexandre foi preso em flagrante e, em seguida, a Justiça deferiu a prisão preventiva.

Palmeirense, Érica foi encontrada morta dentro de casa e Leonardo, que é corintiano, foi preso em flagrante após confessar ter assassinado a mulher, mãe dos dois filhos gêmeos do casal, de 2 anos, após uma discussão sobre futebol, de acordo com a Polícia Militar. Familiares de Érica registraram boletim de ocorrência no último dia 6 de fevereiro. Eles afirmam que até o celular da vítima e documentos dos filhos do casal — gêmeos de 2 anos — foram furtados.

Com informações do site BHZ