Kalil parabeniza população de BH por não se aglomerar no Carnaval

Prefeito Alexandre Kalil
Prefeito também agradeceu profissionais de saúde e agentes públicos pelo empenho (Amanda Dias/BHAZ)

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), usou as redes sociais nesta terça-feira (16) para parabenizar a população da cidade pela responsabilidade de não se aglomerar no Carnaval. Kalil também agradeceu os profissionais da saúde e os agentes públicos que atuaram nesse período, além de garantir que “a alegria vai voltar”.

“Muito obrigado a todos da linha de frente da Saúde, da Polícia Militar de Minas Gerais, Guarda Municipal e Secretaria de Política Urbana pela operação no período de Carnaval. E parabéns à população de Belo Horizonte pela responsabilidade. Vai passar. A alegria vai voltar”, publicou o prefeito no Twitter.

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) definiu que o Carnaval não seria ponto facultativo durante o período previsto entre o sábado (13) e hoje. A suspensão do feriado foi uma medida tomada para evitar a transmissão da Covid-19 e conter as aglomerações enquanto a doença ainda não foi controlada. Sem o decreto de ponto facultativo, todos os dias do período são considerados normais.

Isolamento respeitado

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela PBH nesta tarde, o índice de isolamento social na cidade chegou a 52,9% nesse domingo (14), e foi de 46,1% no sábado. As taxas são parecidas com as que foram registradas no fim de semana anterior, quando o sábado (6) registrou 47,3% de isolamento e o índice no domingo (7) foi de 53,6%. Ou seja, mesmo sendo um período em que tipicamente haveria festas de Carnaval, o isolamento social em BH não registrou grandes quedas em relação aos últimos dias.

Ainda de acordo com o boletim, a capital mineira registra 99.370 casos confirmados de Covid-19, e já contabilizou 2.566 mortes causadas pela doença. A ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) está em 66,8%, e se enquadra nível amarelo de alerta. Já a ocupação de leitos de enfermaria destinados ao tratamento da Covid-19 está em 48,5%, no nível verde.

Edição: Thiago Ricci

Com informações do site BHZ