Santa Maria de Itabira: mãe pediu para que a deixassem morrer e salvassem filho

Por mais de 30 horas, bombeiros realizaram buscas pelo corpo do pequeno Bruce Dener Gonçalves

“Eu não podia deixá-lo na lama. Graças a Deus consegui enterrar meu filho. Estou um pouco mais aliviado, mas a dor de pai permanace”. O relato é do mecânico Dawid Dener da Silva Gonçalves, de 37 anos,  pai do pequeno Bruce Dener Gonçalves, de 5, uma das vítimas do temporal em Santa Maria de Itabira, na região Central de Minas Gerais. O corpo da criança foi sepultado nesta terça-feira (23) e, segundo o pai, a mãe do menino pediu que a deixasse morrer, mas que salvasse o filho único do casal.

“Fomos dormir normal, não tinha chuva. Ele dormia na cama com a gente e, na madrugada, ouvi um barulho na casa do vizinho, onde sempre cai um barranco. Levantei com a minha esposa e ele continuou dormindo. Olhei pela porta da sala e vi que estava entrando água no banheiro, que ficava do lado de fora. Saí de casa para ver o que estava acontecendo no banheiro e, quando agachei, a lama já veio. Foi coisa de segundos”, afirmou.

Segundo Gonçalves, a parede do banheiro o protegeu. Ao sair do cômodo, ele se deparou com a companheira tampada pela lama.

“Vi o braço direito dela e ‘cavaquei’ para que ela pudesse respirar. Ela só falava: ‘salva Bruce. Pode deixar eu morrer’. Consegui arrastá-la e os vizinhos nos ajudaram para ela sair da casa. Voltei para buscar meu filho no quarto, mas aí deu um novo estalo, veio lama, árvore e o resto da casa. Eu e um vizinho tivemos que pular para que não fôssemos soterrados e não deu para salvar meu filho”, explicou.

Equipes do Corpo de Bombeiros realizaram buscas pelo garoto por mais de 30 horas, até que o corpo foi encontrado nessa segunda-feira (22).

Mãe de Bruce está internada em Belo Horizonte

A mãe de Bruce, de 32 anos, foi encaminhada ao Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, com uma fratura no fêmur. Ela aguarda por uma cirurgia e não tem previsão de alta médica.

Acompanhada por uma equipe de psicólogos do hospital, ontem, a irmã dela deu a notícia da morte da criança. Segundo familiares, a mãe chorou e, mais uma vez, disse que deveria ter morrido no lugar do filho.

Dawid vai seguir para a capital mineira para acompanhar o tratamento da mulher. “Vai ser a primeira vez que vou encontrá-la depois disso tudo. Vou ficar lá no hospital com a minha esposa. Ela amava nosso filho demais, vamos passar por isso tudo juntos”, finalizou.


 

Com informações do OTempo