Homem que atirou em vizinhos por barulho de cachorro em BH é preso

Polícia Civil de MG
O problema já estava resolvido quando o homem baleou a dona do cachorro (Amanda Dias/BHAZ)

Um homem de 53 anos foi preso por dupla tentativa de homicídio depois de atirar contra dois vizinhos durante uma reunião de condomínio por causa de barulhos de um cachorro, no bairro Sagrada Família, na região Leste de Belo Horizonte. O crime ocorreu no dia 25 de fevereiro e o homem estava foragido até a última sexta-feira (12), quando foi preso em Guarapari, no Espírito Santo. O autor havia baleado uma mulher de 40 anos, dona do cachorro, além de tentar atirar no síndico do prédio, de 35 anos, cunhado da vítima.

De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, a motivação do crime teria sido uma discussão sobre um assunto que já estava resolvido entre eles. “A motivação foi o barulho causado por um cachorro de uma vizinha. Esse fato já havia sido discutido em um grupo de WhatsApp dos moradores e o caso estava resolvido. O cachorro iria para outro endereço e esse problema não mais existiria. A reunião seria para encerrar esse desentendimento e acabou causando esse fato”, disse o delegado Eduardo Hilbert, que coordenou a investigação.

O crime

Em relato à PM no dia do crime, a mulher explicou que o cachorro já havia sido deixado em uma creche para animais. Em seguida, o síndico convocou a reunião na garagem do prédio, à noite, para discutir o barulho. No entanto, assim que a mulher chegou na garagem, escutou o morador muito exaltado.

Nesse momento, o autor teria dito “vocês acham que eu sou bobo?”, retirado uma pistola da cintura e apontado para o síndico. Ele atirou em direção ao homem, mas a arma não funcionou. De acordo com o gestor do condomínio, o autor ainda teria falado que ele tinha “dado sorte”. Em seguida, ele manejou a arma corretamente e se virou para a vizinha, dona do cãozinho. Dessa vez, ele acertou a perna direita da mulher.

A vítima caiu no chão e o autor se virou, novamente, para o síndico. Nessa segunda tentativa, a arma disparou, mas não atingiu o homem, e sim a pilastra da garagem. De acordo com o gestor, ele resolveu cair no chão e fingir que tinha sido atingido para que o vizinho não atirasse nele mais uma vez. Durante os fatos, uma das vizinhas abriu o portão da garagem e saiu correndo do prédio. A polícia foi acionada e o autor fugiu à pé.

Fuga e prisão

De acordo com a investigação da Polícia Civil, o homem não recebeu ajuda para fugir. “Logo após a prática do crime, ele dirigiu-se para a região da rodoviária e passou a noite em um hotel. No dia seguinte efetuou compra de uma passagem para Guarapari, sem auxílio de terceiros. E no momento da prisão também estava sozinho. A equipe teve o cuidado para evitar o confronto, uma vez que estávamos lidando com uma pessoa intempestiva e em posse de arma de fogo”, contou o delegado.

As autoridades de Minas Gerais e do Espírito Santo atuaram juntas, em 36 horas de diligências e vigilância no apartamento onde o homem estava, para efetuar a prisão. Os policias apreenderam no local uma pistola calibre .40 que teria sido utilizada no crime, além de R$ 4.467 em dinheiro e uma faca. O suspeito foi indiciado por cometer uma dupla tentativa de homicídio, qualificado por motivo fútil.

Com PCMG


 

Edição: Giovanna Fávero

Com informações do site BHZ