Cientistas revelam nova foto de um buraco negro

Um grupo de cientistas revelou uma nova visão do buraco negro no centro da galáxia M87, a 55 milhões de anos luz de nós. A imagem usa a polarização da luz para mostrar claramente os campos magnéticos em ação no disco de gás e poeira ao redor do objeto.

As ondas de luz polarizada têm orientação e brilho diferentes em comparação com a luz “normal”, não-polarizada. E, assim como a luz é polarizada quando passa por alguns óculos de sol, ela também é polarizada quando é emitida em áreas magnetizadas e quentes do espaço.

Como a polarização é uma assinatura de campos magnéticos, esta imagem deixa claro que o anel do buraco negro está magnetizado. Esta visão polarizada “nos diz que a emissão no anel é certamente produzida por campos magnéticos que estão localizados muito perto do horizonte de eventos“, disse Monika Moscibrodzka, coordenadora do Grupo de Trabalho de Polarimetria do Event Horizont Telescope (EHT) e professora assistente da Radboud Universiteit na Holanda, ao site Space.com

Imagem do buraco negro no centro da galáxia M87
Visão do buraco negro no centro da galáxia M87 em luz polarizada. As linhas indicam os campos magnéticos.

Esta é a primeira vez que astrônomos conseguem medir a polarização tão perto da borda de um buraco negro. Esta nova visão não só é espetacular, ela também revela novas informações sobre os poderosos feixes de ondas de rádio disparados por M87.

“As novas imagens polarizadas marcam passos importantes para aprender mais sobre o gás perto do buraco negro e, por sua vez, como os buracos negros crescem e lançam feixes de ondas de rádio”, disse Jason Dexter, professor assistente da Universidade do Colorado em Boulder e coordenador do grupo de trabalho teórico do EHT.

As observações da equipe e esta nova visão do objeto em M87 estão aprofundando a compreensão dos cientistas sobre a estrutura dos campos magnéticos do lado de fora de um buraco negro, pois permanece um mistério como jatos maiores do que a própria galáxia são emitidos do buraco negro em seu coração.

Leia mais:

“Os astrônomos há muito pensam que os campos magnéticos transportados pelo gás quente perto dos buracos negros desempenham um papel importante em permitir que o gás caia no buraco e no lançamento de jatos relativísticos de partículas energéticas para a galáxia ao redor. A imagem polarizada que vemos nos fala sobre o estrutura e força desses campos magnéticos”, disse Dexter.

“A principal descoberta é que não apenas vemos os campos magnéticos próximos ao buraco negro como esperado, mas eles também parecem ser fortes. Nossos resultados indicam que os campos magnéticos podem empurrar o gás e resistir ao estiramento. O resultado é uma interessante pista de como os buracos negros se alimentam de gás e crescem”, acrescentou Dexter.


 

Fonte: Space.com

Com informações do Olhar Digital