Mineira foge após 9 meses em trabalho análogo à escravidão; mulher se alimentava de sobras

Mulher libertada escravidão no MS
A mulher foi sequestrada no ano passado por uma idosa de 70 anos (Reprodução/PCMG/YouTube)

Uma mulher de 34 anos que vivia há cerca de 9 meses em situação análoga à escravidão teve sua liberdade conquistada e voltou aos braços de sua família na tarde de hoje (29). A vítima é moradora de Mateus Leme, região metropolitana de BH. Ela foi sequestrada por uma idosa de 70 anos no ano passado e forçada a trabalhar como empregada doméstica sem receber pagamentos, alimentação e vida digna. Segundo a Polícia Civil, a vítima ainda precisava se alimentar de restos de comida da família que cometia os crimes.

A mulher foi levada contra a vontade para a cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, onde era proibida de manter contato com outras pessoas, inclusive a própria sua família. No último domingo (21), a vítima conseguiu escapar da casa onde era mantida e conseguiu socorro com membros de uma igreja da região. Em seguida, ela recebeu ajuda da corporação da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Campo Grande.

Os policiais do Mato Grosso do Sul fizeram contato com a equipe de Minas Gerais e se mobilizaram para encontrar a família da vítima. Segundo a delegada responsável pelo caso, Ligia Barbieri Mantovani, os investigadores ainda estão apurando um possível apagamento de dados do celular da vítima. “Há notícias de que todos os contatos do celular dela foram apagados”, explica.

Mãe não sabia

Ainda segundo as investigações da Polícia Civil, a mãe da vítima não sabia o que havia ocorrido com a filha. “Assim que soubemos, fomos ao endereço da mãe da vítima e, após, confirmamos os fatos, verificamos que procediam as informações prestadas. Essa mulher ficou na condição análoga à escravidão por cerca de nove meses. A mãe da vítima somente registrou um boletim de ocorrência em fevereiro deste ano e, ainda assim, contendo informações muito vagas, que não sinalizavam crime.”

“Ela não falava em desaparecimento, apenas que a filha não fazia contato há muito tempo e que não sabia do paradeiro dela”, esclarece a delegada. A vítima foi encaminhada para uma UPA em Mateus Leme para ser avaliada. “No momento, a vítima encontra-se internada. Ela está tomando soro, porque após consulta com o médico sinalizou uma possível desnutrição”, diz a delegada.

Agora, a polícia apura se o filho da vítima também está envolvido no caso. Por conta dos desdobramentos do crime, a Delegacia em Mato Grosso encaminhou o caso para a Polícia Federal do estado, que vai seguir com as investigações. A Justiça do Trabalho também foi acionada para apurar quais crimes trabalhistas foram cometidos contra a vítima.

Edição: Roberth Costa

 

Com informações do site BHZ