Sem citar nome, Thelma dispara sobre participante do BBB: ‘Homofóbico’

thelma assis bbb
Thelma Assis mandou recado para participante do Big Brother Brasil 21 (Reprodução/Instagram)

Thelma Assis, última campeã do Big Brother Brasil, mandou uma mensagem que internautas associaram ao sertanejo Rodolffo, participante da atual edição do reality global. Na noite de ontem (29), durante o programa, a médica tuitou a palavra “homofóbico” e gerou discussão na rede social. O termo, que foi usado com letras maiúsculas e separadas por traços, já tem mais de 135 mil curtidas em menos de 12 horas. Rodolffo, a quem a “indireta” foi atribuída, já foi apontado como homofóbico por algumas atitudes dentro e fora da casa mais vigiada do Brasil. O assunto é sério, e é sempre bom reforçar: homofobia é crime.

O sertanejo que faz dupla com Israel tem sido muito criticado por algumas atitudes dentro do BBB21. As críticas ficaram mais evidente após o então líder, Gilberto, indicá-lo ao paredão da semana passada, no qual Carla Diaz acabou eliminada. A indicação feita pelo doutorando em economia foi por conta de uma situação de homofobia presenciada por ele, envolvendo Rodolffo e Fiuk. Na ocasião, o cantor sertanejo fez piada com o fato do ator usar vestido e insinuou que ele não entraria em boates de Goiânia daquele jeito.

Em papo com Arthur, logo após a eliminação de Carla Diaz, os dois relembraram a piada homofóbica com Fiuk. Com isso, o instrutor de crossfit achou que o paredão de Rodolffo trazia uma mensagem. “Velho, se você não saiu, talvez você não fez cagada, sabe?”, iniciou. O sertanejo concordou com o colega de confinamento e disse que o “mimimi” do mundo atual teria lhe tirado a oportunidade de seguir no BBB caso tivesse uma atitude desagradável na casa. “Se eu tivesse feito cagada grande não tinha como não sair, Arthur. Não tem como. Ainda mais no mundo de hoje com o tanto de ‘mimimi’ pra cima e pra baixo”.

Em conversa com Viih Tube, no último sábado (27), o cantor disse que não esperava por aquilo e que havia se sentido traído pelo brother, por considerá-lo um aliado de jogo. Inconformado com a situação, Rodolffo disparou sobre Gilberto: “Ele acha bonito esse negócio de cachorrada. Eu detesto confusão e gritaria, não gosto desse negócio de cachorrada, de gritaria. Tenho nojo disso. É horroroso o que ele faz, tenho pavor”.

Em mais uma conversa resgatada por internautas, dessa vez logo no início do programa, Rodolffo reclama mais uma vez do jeito de Gilberto, de suas “gritarias” e “dancinhas”. O sertanejo afirma que não “aguentava mais”. No compilado abaixo, Gilberto aparece reclamando com Arcrebiano, que já foi eliminado, que toda vez que o doutorando chega em um lugar da casa, o sertanejo sai. Assista:

Polêmica antes do BBB

Em vídeo gravado antes do reality, com a intenção de mostrar Rodolffo como uma pessoa sem preconceitos, as imagens acabaram causando efeito contrário. No vídeo, o sertanejo aparece sentado em um banco na varanda, do que parece ser a própria casa. “Eu tenho a minha vida super bem-resolvida com relação à minha heterossexualidade. Eu gosto demais de um monte de gays. Eu não tenho preconceito para estar junto, de bater papo, de dar risada… Aliás, uma das criaturas que mais me fazem dar risada, é a criatura gay. E tá tudo certo. Ele de lá com um boy, e eu de cá com uma girl”.

A frase gerou polêmica e levou a palavra criatura ao topo dos assuntos mais comentados do Twitter, no dia 1º de fevereiro. Mas as opiniões se dividem: enquanto uns internautas consideram o termo desrespeitoso e homofóbico, outros garantem que a expressão não tem maldade e é muito utilizada no estado do Goiás para se referir a todas as pessoas, inclusive “pai e mãe”.

Não é ‘mimimi’, homofobia é crime

Vale reforçar que homofobia e transfobia são crimes previstos por lei. Eles entram na lei do racismo, já existente há 30 anos e, com isso, as punições são semelhantes. O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homofobia em junho de 2019.

Veja o que é considerado crime:

  • “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito” em razão da orientação sexual da pessoa poderá ser considerado crime;
  • a pena será de um a três anos, além de multa;
  • se houver divulgação ampla de ato homofóbico em meios de comunicação, como publicação em rede social, a pena será de dois a cinco anos, além de multa;
  • a aplicação da pena de racismo valerá até o Congresso Nacional aprovar uma lei sobre o tema.
Edição: Giovanna Fávero

 

Com informações do site BHZ