LG confirma que sairá do mercado de smartphones ainda em 2021

Após muita especulação, a LG finalmente confirmou que sairá do mercado de smartphones até junho de 2021. A justificativa oficial é de que a decisão permitirá que a empresa concentre seus recursos em outras áreas que gerem lucro aos sul-coreanos.

Os telefones que já foram lançados continuaram à venda até que terminem os estoques e todos que possuem aparelhos da marca seguirão tendo suporte aos seus dispositivos. No entanto, o período de assistência deve variar de acordo com cada região.

A empresa possui uma fábrica em Taubaté, no interior de São Paulo, contudo, não informou sobre qual será o destino dessa e de outras fábricas ao redor do mundo ou dos funcionários que trabalham nelas. A posição oficial é de que assuntos relacionados a demissões e remanejamentos serão tratados em nível local.

Leia também:

Em nota, a LG informou que deve focar seus esforços em outros mercados, como componentes para veículos elétricos, dispositivos conectados, casas inteligentes, robótica, inteligência artificial e soluções para empresas.

Divisão era deficitária

LG Wing e Google Pixel 5
Recentemente, a LG lançou o Wing, um celular de duas telas. Imagem: LG/Google/Divulgação

Os rumores sobre o fim da divisão de smartphones da LG já vêm desde o início de 2021, mas, reiteradamente eram negados por porta-vozes da empresa. O discurso oficial era de que a companhia queria tornar a operação lucrativa em 2021 e, inclusive, vinha desenvolvendo dispositivos inovadores, como um novo telefone enrolável.

Segundo o The Verge, a LG tentou encontrar um comprador para seu negócio de telefones, no entanto, não encontrou compradores, o que fortaleceu a possibilidade do fechamento.

A empresa já amarga prejuízos em sua operação de smartphones há pelo menos cinco anos, já que seus aparelhos premium não conseguem ser competitivos contra os modelos de Samsung, Apple e Motorola. Enquanto isso, os modelos de entrada não competem com os aparelhos chineses.

A empresa segue uma tendência que já foi iniciada por outras companhias, como a Sony, que diminuiu bastante o volume de seus celulares da linha Xperia nos últimos anos.


 

Com informações do LG Newsroom The Verge

Com informações do Olhar Digital