Covid-19: Prefeito solicita vacinação dos coletores de lixo ao Ministério da Saúde

O prefeito Marco Antônio Lage encaminha, nesta terça-feira (13), ao Ministério da Saúde, pedido formal de imunização contra a Covid-19 para os coletores de lixo da Empresa de Desenvolvimento de Itabira (Itaurb).

No documento, enviado para o ministro Marcelo Queiroga, o prefeito ressalta os desafios impostos pela pandemia em Itabira e reafirma a necessidade de incluir os profissionais da limpeza pública urbana nos grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização (PNI).

“A razão de tal pedido é óbvia, pois são tais profissionais que estão na casa de milhares de pessoas todos os dias, coletando os resíduos residenciais, em contato com lixo de pessoas saudáveis e também, mesmo sem saberem, do lixo produzido por pessoas contaminadas. A imunização desse grupo se mostra necessária para que a atividade, sem sombra de dúvida essencial, continue ocorrendo sem maiores percalços, sem risco de continuidade em um importante ramo da saúde pública que é a limpeza urbana”, escreveu Marco Antônio.

Itabira possui cerca de 120 mil habitantes e, aproximadamente, 50 coletores de lixo. “Ou seja, o número de pessoas a serem vacinadas é muito pequeno se comparado ao total de habitantes. Percentual este que deve representar a realidade da grande maioria das cidades brasileiras, que, certamente, convivem com a mesma necessidade de vacinação de seus coletores de lixo”, analisou o prefeito.

O pedido ao Ministério da Saúde é a continuidade outras ações já tomada pela Prefeitura em busca de garantir a inclusão dos coletores nos grupos prioritários da campanha de imunização contra a Covid-19. Antes, o município já havia procurado também a Secretaria de Estado de Saúde e o Ministério Público. Desta vez, além do ofício, a Prefeitura encaminhou também um abaixo-assinado contendo assinaturas de funcionários e diretoria da Itaurb.

Em tempo

Para enfrentar a pandemia, desde janeiro, a Prefeitura de Itabira abriu novos leitos de enfermaria e de terapia intensiva (UTI) nos dois hospitais da cidade. Foram 12 novos leitos de UTI e 28 de enfermaria no Carlos Chagas, além de 20 novos leitos de UTI que entram em funcionamento nos próximos dias no Hospital Nossa Senhora das Dores.

A Secretaria Municipal de Saúde ainda reforçou as unidades de saúde mediante convênio com instituição de ensino e a consequente cessão de estudantes no último período do curso de Medicina. Também foram determinadas medidas de restrição de funcionamento de atividades não essenciais, como forma de conter o crescente número de pessoas contaminadas.