Faxineira é sequestrada, estuprada e mantida refém na Pampulha

hospital odilon behrens
Vítima foi levada ao Hospital Odilon Behrens (Amanda Dias/BHAZ)

Uma mulher de 50 anos viveu momentos de pânico quando se deslocava para trabalhar nessa segunda-feira (10). A vítima foi sequestrada, estuprada e golpeada com facão por um homem no bairro Santa Terezinha, na região da Pampulha, em Belo Horizonte. O suspeito fugiu e ainda não foi preso.

A faxineira contou que estava indo trabalhar e foi surpreendida por um homem ao passar pela avenida Heráclito Mourão de Miranda. Ela foi levada até uma construção abandonada em um terreno baldio. Por lá foi violentada sexualmente e ameaçada de morte.

A mulher ficou mantida refém por 14 horas. Ela lembra que tudo começou por volta das 10h30 de ontem e conseguiu se livrar do criminoso às 0h40 de hoje.

A vítima relatou à Polícia Militar que foi estuprada até o momento em que, finalmente, conseguiu se livrar. Durante o período em que ficou no cárcere privado, o homem falava que ia cortar as partes do corpo dela, caso pedisse ajuda ou tentasse fugir.

Agressões

Se não bastassem as violências sexual e psicológica, a mulher ainda foi atingida com golpes de facão. Em determinado momento ela tentou sair da construção abandonado e acabou sendo atingida nos braços, no pé e na região da mama.

Mesmo após ser agredida, a vítima conseguiu correr até a avenida Heráclito Mourão de Miranda. Moradores da região chamaram a PM, que conduziu a vítima até o hospital Odilon Behrens. A faxineira passou por avaliação médica e foi descartado risco de morte.

Fuga

O homem fugiu após o crime e ainda não foi localizado pelas autoridades. A mulher passou as características dele: negro, calçava tênis azul, vestia uma calça jeans amarrada com fio elétrico, camisa cinza, cabelo preto e curto.

O celular da vítima foi levado pelo homem. Os demais pertences da mulher acabaram sendo deixados com a irmã da faxineira. O BHAZ tentou contato com familiares, mas não teve sucesso.

A ocorrência foi encerrada na 4ª Delegacia de Polícia Civil.


 

Edição: Thiago Ricci

Com informações do site BHZ