Aos 82 anos, ator de Castelo Rá-Tim-Bum revela bissexualidade

sérgio-mamberti
Sérgio Mamberti falou dos relacionamentos que teve em seu novo livro (Reprodução/@sergiomamberti/Instagram)

O ator Sérgio Mamberti revelou, aos 82 anos de idade, que é bissexual. A informação veio à tona em seu livro biográfico “Sérgio Mamberti: Senhor do Meu Tempo”, lançado em abril deste ano. Em recente entrevista, o eterno doutor Victor, do Castelo Rá-Tim-Bum, falou abertamente sobre os relacionamentos que teve com Vivian Mehr e, anos depois, com Ednaldo Torquato, ambos já falecidos.

No livro, Sérgio fala sobre seus anos de carreira como ator, entre as telas e o teatro. Ademais, ele registra uma declaração de amor à Vivian Mehr, com quem se casou, e a Ednaldo Torquato, que veio a ser seu parceiro posteriormente. Sobre sua bissexualidade, o ator resumiu: “Não adianta esconder”.

Em entrevista ao Notícias da TV, acerca de seu livro, Mamberti falou de sua história com Vivian e o problema de saúde que ela apresentou, que levaram à sua morte. “A Vivian e eu ficamos 18 anos juntos, até a morte dela. Ela me deu três filhos. Eu tinha uma parceria extraordinária com ela. Eu via que a vida dela seria curta por causa desse processo da asma dela”, disse.

“Nós tínhamos uma sincronia de pensamentos e de criatividade, embora fossemos bem diferentes. Acompanhei a Vivian até os últimos momentos dela, foi um dos momentos mais difíceis que passei na minha vida. Fiquei quase dois anos me recuperando”, contou Sérgio Mamberti.

Novo amor

Dois anos após o falecimento de Vivian, o ator conheceu Ednaldo Torquato, com quem criou uma menina adotiva. Sérgio também revelou detalhes da relação dos dois, e como foi o período em que Ed, como ele o chama, teve uma síndrome que resultou em sua morte.

“O Ed foi uma coisa mais fortuita. A Vivian foi uma escolha e também teve um lado místico nesse encontro. Fui fazer uma peça que viajava pelo Brasil e conheci o Ed, com quem estabeleci uma grande relação de amizade. Depois, ele precisou fazer uma operação e veio para São Paulo. Ele teve que ficar seis meses aqui. E pronto, nunca mais saiu daqui”, lembrou.

Segundo Mamberti, o relacionamento dos dois foi de muito carinho e participação. “O Ed era bem mais jovem que eu, mas o final da vida dele também foi complicado. Ele entrou num processo depressivo e não conseguia, profissionalmente, se estabelecer. Então, ele teve uma síndrome que se chama Wernicke-Korsakoff”, contou o ator.

Morte de Ednaldo

A condição de saúde fez com que Ednaldo perdesse o movimento das pernas e depois a memória. Ele melhorou da síndrome mas ficou com sequelas. Meses depois, o companheiro de Sérgio teve uma infecção urinária e morreu aos 62 anos. O artista revelou que os dois nunca quiseram oficializar a união.

“Chegamos a conversar sobre isso. O Ed falou assim: ‘Não quero nada oficial’. E tinha uma irmã dele que reclamou de a gente não ter feito os papéis, mas o Ed nunca quis”, disse. Sérgio Mamberti também falou sobre como foi escrever sobre sua bissexualidade no livro.

Ele apontou o seguinte: “Num livro como esse, que é tão pessoal, eu não posso deixar de falar disso. Foram experiências muito profundas. Tanto que ouvi por parte da imprensa, comentários dizendo: ‘Olha, o Mamberti é bissexual’. Não me sinto bem com esses rótulos para mim. Na verdade, são encontros. Eu prefiro chamar de encontros, não importa qual é o gênero”.

‘Não adianta querer esconder’

“Não adianta querer esconder, porque a qualquer hora isso pode vir à tona. E se você já não assumiu antes, fica numa situação muito complicada. Eu, particularmente, com relação aos meus filhos, falei logo de cara”, continuou.

Para Sérgio, não havia como esconder dos filhos pois ele morava com Ednaldo. “Talvez, a gente tenha tido, em alguns momentos, que enfrentar determinados problemas, mas muito menores do que se eu estivesse tentando esconder”, disse.


 

Com informações do site BHZ