Milionário deserda 3 filhas e deixa fortuna de 150 milhões de euros só para caçula

irmãs deserdadas
Olga, Lucía e Maria Cruz não concordaram com o divórcio dos pais e afastaram Alejandro da direção da empresa da família (Reprodução/@familiafernandezrivera/Instagram)

Cinco dias antes de falecer, um espanhol magnata dos vinhos decidiu privar completamente suas três filhas mais velhas de sua fortuna milionária. No testamento, o criador do vinho Ribera del Duero, Alejandro Fernández deixa seus € 150 milhões (quase R$ 1 bilhão) apenas no nome da filha caçula. As informações foram divulgadas pelo jornal El País.

A família, que conduzia o negócio de forma conjunta, se desestabilizou depois que Alejandro se separou da mãe das filhas, Esperanza Rivera. As três mais velhas, Olga, Lucía e Maria Cruz não concordaram com a atitude do pai. A única que ficou ao lado de Alejandro na desavença familiar foi a caçula Eva.

Com o divórcio, Alejandro e Esperanza ficaram, cada um, com 49,72% das ações da empresa da família, e o restante foi dividido para as quatro filhas. No entanto, as mais velhas decidiram somar suas ações às da mãe Esperanza e passaram a comandar a empresa, afastando o pai da direção.

Vingança milionária

O homem logo buscou auxilio da justiça e retomou o controle da vinícola. Como vingança, decidiu alterar o testamento tirando o nome das três filhas. Dessa forma, Eva receberá 75% da herança total e os 25% restantes, que seriam de Olga, Lucía e Maria Cruz, vão para as netas, filhas das três mulheres deserdadas.

Antes de tomar a decisão, Alejandro esteve em um psicólogo para comprovar estar consciente de sua escolha. O magnata morreu na madrugada no dia 22 de maio deste ano, aos 88 anos. Ele havia sido transferido para um hospital universitário da cidade de Santander, na Espanha, depois de desmaiar em um restaurante em que apresentava um dos seus vinhos a amigos e clientes.

 


 

Edição: Roberth Costa

Com informações do site BHZ